Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do Hospital Agamenon Magalhães poderão suspender suas atividades

Profissionais da UTI Geral, setor que atende pacientes com a Covid-19, reclamam da falta de refrigeração e da qualidade dos EPI´s

Profissionais da enfermagem de nível médio que atuam na UTI Geral do Hospital Agamenon Magalhães, no Recife, poderão suspender suas atividades. Categoria denuncia o setor, que atende pacientes diagnosticados com a Covid-19, continua sem refrigeração e reclamam dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI´s) recebidos. Vídeo enviado para o Sindicato Profissional dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem de Pernambuco (SATENPE) mostra uma trabalhadora utilizando um capote que, por conta da péssima qualidade e do calor, fica completamente molhada.

Conforme liminar da 4ª Vara da Fazenda Pública da Capital, do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), que determinou ao Governo de Pernambuco a regularização no fornecimento dos EPI´s aos profissionais da rede estadual, teve o prazo encerrado nesta segunda-feira (04/05). Conforme a decisão, os trabalhadores podem se recusar a assumir o posto de trabalho. Além disso, o Estado estará sujeito a multa diária de R$ 100 mil por unidade de saúde.

De acordo com o presidente do SATENPE, Francis Herbert, a entidade acionará à Justiça para a liminar ser cumprida e as atividades serem suspensas. “Hospitais públicos do Estado continuam sofrendo com a falta de estrutura e com EPI´s em quantidade insuficiente e de baixa qualidade, ampliando assim os riscos de contaminação tanto dos trabalhadores quanto dos pacientes. Em especial, na UTI Geral do Hospital Agamenon Magalhães, os profissionais continuam em condições insalubres, fazendo com que a exaustão e o cansaço sejam outros elementos que degradam as condições de trabalho”, enfatizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 − um =

Whatsapp